Terremotos na California

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

o-que-fazer-em-terremoto-na-california-falhasandreas
Falha de San Andreas

Olá, pessoal!
Como estão?

Depois de um tempinho organizando a casa e a nova fase do Califórnia, este é o nosso primeiro post no blog novo e chegamos com um assunto que causa medo: terremoto!
Sempre que falo de Califórnia, trago alguns avisos, mas sempre muito sobre o que curtir e as vantagens de uma viagem ou intercâmbio por lá. Mas neste post vou te contar como é o que fazer se, por acaso, passar por um terremoto na Califórnia!

É bem verdade que já faz um tempo que os tremores fortes não acontecem, creio eu que os piores foram o de 1906, quando San Francisco foi arrasada por um tremor com cerca de 8 pontos na escala Richter, causando milhares de mortes e um incêndio após o abalo sísmico, conhecido The Great San Francisco Earthquake . E em 1989 um novo abalo sísmico de 7.1 causou sérios danos e mortes. Todavia, tremores menores entre 2 e 3 pontos acontecem com frequência no estado inteiro, pois estamos falando de um território localizado em cima de uma falha tectônica, a Falha de San Andreas, que aliás vem até a superfície e pode ser vista, como uma cicatriz do solo por mais de 1200km (acredite, já se tornou ponto turístico!).

The Great San Francisco Earthquake
Panorâmica da San Francisco em 1906, após ser destruída pelo maior terremoto.

 

 

Bem, para lidar com estas surpresas da natureza, a Califórnia se defende como pode. Um dos pontos que observamos facilmente é que a maioria das construções não são de mais finas e quando batemos, o “toc-toc” parece um som de parede de isopor ou gesso, o que não deixa de ser verdade! lol
E porque disso? Bem, se um abalo sísmico forte vem e derruba sua casa ou hotel de alvenaria à noite, é bem provável que você não sobreviva. Mas se a construção for de drywall, que são mais leves e quebram fácil, há uma chance muito maior de você se machucar, claro, mas de sobreviver à catástrofe.

Esta e outras medidas, como vias públicas construídas em cima de uma camada de borracha que permite certo movimento antes de se romper são alguns dos cuidados que o governo californiano toma para se prevenir dos terremotos, tanto os pequenos que acontecem sempre, como para a espera dos grandes tremores que arrasam as cidades.
Lembro-me que quando alvenaria (sim, esqueça os tijolos), por lá as casas são feitas de drywall. Caso você não conheça, vai logo identificar, pois são paredes morei em Los Angeles, na primeira semana de aula na high school tivemos um treinamento com o corpo de bombeiros sobre como agir em um terremoto! Confesso que no momento aquilo me assustou um pouco, pois na minha segunda noite na terra das palmeiras já havia tido um terremoto e, embora eu não tivesse sentido, o comentário tinha sido considerável. Bem, mas no treinamento os bombeiros puderam resumir nossa ação em três passos bastante simples:

  • Primeiro, ao sentir qualquer tremor no chão, fuja de edifícios, casas, qualquer coisa que tenha teto! Afinal, ele pode vir a cair e você será no mínimo machucado por ele.
  • Segundo, ao chegar à rua, procure por um ponto onde nada que caia possa te atingir (ou o menor risco possível).
  • Terceiro, encontrado o local, sente-se no chão! (Como? Sim, isso mesmo! Sente-se no chão!)
Terremoto em Los Angeles, 1994 - Santa Monica Freeway se rompeu, ciando na La Cienega Boulevard
LA, 1994 – Santa Monica Fwy se rompeu, caindo na La Cienega Blvd

Pode parecer estranho pedir para você sentar-se, quando a vontade é de correr, fugir dali. Mas convenhamos… você não vai poder correr a Califórnia inteira para fugir, certo? Então a recomendação é que você se sente para evitar tonturas e tombos devido ao tremor do chão. Sentado você está seguro de quedas que possam te machucar e impossibilitar correr se isso for necessário. Isso inclui estar longe de fiação que pode causar incêndios e carros estacionados que, com a movimentação e inclinação do solo, andam e podem te machucar.
E quando levantar? Bem, se tudo der certo, levante-se assim que o tremor passar. Mas se a situação piorar, ao sinal de rachaduras no chão, levante-se e escolha um dos lados, para não correr riscos, afinal você não sabe a profundidade do que está por vir.
Agora se não puder sair por algum motivo, esconda-se junto ao móvel mais pesado que encontrar, embaixo da cama, por exemplo. E fique longe das janelas e vitrines, vidros explodem com facilidade!

Lembro de ter passado por 4 terremotos por lá! O primeiro eu não senti, apenas ouvi o comentário na manhã seguinte e aquilo me assustou. Depois passei por mais dois, bem leves, mas lembro de pessoas deixando as lojas e algumas sentando-se no chão, para evitar as quedas. E o quarto foi em Fevereiro deste ano (2014) e o que mais me deu medo: eu estava dirigindo, na freeway de LA para Las Vegas (a I-15), e de repente o volante começou a tremer, achei estranho e comentei com a minha sogra que estava ao lado. Ela, por não ter conhecimento sobre os terremotos, disse que poderia ser por conta do asfalto (imagina, o trecho era como um tapete, mas é o que nós brasileiros pensamos quando o volante treme!rs). Eu sabia e disse que era um terremoto, mas não sabia o que fazer: se parava o carro e saia dele, se continuava. É por uma questão de segundos que tudo passa na cabeça, mas optei por continuar e manter a velocidade. Não sei se foi o correto, mas deu certo!

Este ano já tiveram cerca de 5 terremotos, todos entre final de fevereiro e março, três em uma semana. Isso preocupa, causa medo em quem viaja, mas é o risco que corremos, seja lá com terremotos, no Japão com tsunami, na Europa com os vulcões. Há uma estimativa feita após o terremoto de 1989 que em 20 anos um novo tremor muito forte viria para arrasar a região de Los Angeles, como aconteceu com San Fran em 1906. Este chegaria à 9 pontos da escala. A data não se cumpriu e, após a sequência de tremores deste ano, também foi dito que até Julho/2014 era a data para sua chegada. Bom, nada se concretizou, graças à Deus! Mas é sempre bom estar atento e saber o que fazer quando o chão começa a tremer!

 

Sobre FêRabaglio

Designer gráfico, autora do Blog Vou Pra California e Guia Para Orlando, apaixonada por Las Vegas, California e Orlando, minha história com este universo começou logo após o término na universidade, quando decidi passar um tempo na California fazendo Intercâmbio! Queria conhecer a terra do cinema e das palmeiras, estudar inglês, mas de uma forma mais econômica do que os tradicionais intercâmbios. Foi aí que minha jornada começou, que me apaixonei por este tema e logo dei início ao Blog que hoje ajuda tantas pessoas a encontrarem suas trilhas com destino na California!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>