#LA2012MJ: Da Universal ao MJ The Immortal World Tour

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Olá, pessoal! Como estão?

Bem, já voltamos de viagem, chegamos todas bem, mas ainda tenho muito para contar aqui sobre o #LA2012MJ. Peço desculpas por não ter sido possível postar todos os dias de lá e por estes dias de ausência, pois voltei meio doente. Mas vamos lá, continuando o dia-a-dia da viagem:

No sábado acordamos cedo, nos arrumamos e, enquanto as meninas terminavam de arrumar as coisas, eu desci para a Walk Of Fame para comprar os ingressos da Universal Studios Hollywood. Por volta das 10hs da matina eu estava no hotel de volta com os ingressos em mãos e lá fomos nós para o parque que foi cenário do filme Moonwalker, de Michael Jackson.

As meninas se divertiram bastante, desde as fotos na entrada do parque até com os shows e brinquedos, como com os animais adestrados, atores em diversos filmes, com o show de efeitos especiais, com as cenas 3D do “Exterminador do Futuro”, e com a adrenalina sentida com a montanha russa virtual dos Simpsons, na Krustyland. Aliás, foi bem engraçado ver a Cris gritando, rindo e chorando ao mesmo tempo, a Rô pedindo socorro e para descer, chamando os seguranças, mas em português, (como se os americanos fossem entender…rsrs) e a Dri tentando mentalizar outra coisa e de olhos fechados e, depois de descermos, querendo matar o Bart Simpson!rsrsrs

Fizemos fotos com os personagens com os quais cruzamos, além dos cenários lindos que temos ao caminhar por todos os parques, na verdade, mas na Universal encontramos algo que vai além: temos ali uma réplica do Palace Theater, que na verdade é apenas uma loja de souvenirs, mas a referência, para os fãs de MJ, lembra Thriller e faz dali um lugar especial.

Almoçamos por lá e eu fui às compras, pois tinha encomenda da Dani, lá da Uninove: um Homer de Pelúcia!rs E uma caneca de chopp para o meu pai! Hehehe…. Só coisas essenciais!rsrs Mas como não podia faltar, fui às compras!rs

Saímos da Universal por volta das 17hs, encaramos um trânsito básico, chegamos no hotel, nos arrumamos rapidinho e lá fomos nós para o Staples Center, para assistir o Cirque Du Soleil, por volta das 18h40, ver nada menos do que Michael Jackson The Immortal Wolrd Tour, by Cirque Du Soleil. Chegamos por lá, deixei o carro num estacionamento próximo e liguei para o Aguinaldo, para encontrá-lo. Achei prudente ter um amigo de lá conosco, pois o Staples Center fica em Downtown, lugar perigoso à noite, em especial só para mulheres.

Nos encontramos com ele na porta do Staples Center e lá fomos nós, pegar os ingressos, passar pela vistoria e receber a triste notícia de que não podíamos entrar com máquinas fotográficas… Voltamos no carro, deixamos as máquinas e lá fomos nós para a entrada. Lá dentro, foi a hora de distribuir os ingressos e encaminhar as meninas para seus lugares e só então eu e o Aguinaldo fomos para os nossos.
O que dizer do espetáculo? Magia, encanto, história, cores, vibrações, adrenalina, emoção, música, dança, figurinos incríveis, cenários maravilhosos, artistas excepcionais, um show que mexe com qualquer um, se for fã então, converte em lágrimas e faz passar um filme na mente, pois conta tudo, do clichê Bad e Thriller, até atos da infância, reproduz Neverland, emociona-nos com as mensagens de Heal The World e Black or White e neste ponto, me emocionei imensamente, pois vi a bandeira brasileira em palco.

Ver o palco ginásio todo iluminado com lanternas vermelhas em forma de coração também incrível! Era um mix de emoção e adrenalida, tanto pela história, (que tão bem conheço), como pela arte em si ali apresentada! O Cirque Du Soleil tem o dom de encantar, de envolver e provocar sentimentos e sensações únicas a cada espetáculo. A experiência de estar ali é indescritível, só sei contar que o coração de cada uma ali, encheu-se de bons sentimentos, os olhos de lágrimas e as faces de sorrisos… Eu olhava para os lados, e via que todos expressavam a mesma coisa: surpresa, emoção e alegria; não importava a idade, a geração, raça ou nacionalidade. Vi senhoras que regulavam idade com Michael, cantando, dançando e emocionadas (a senhora ao meu lado, chorava, ria e cantava ao mesmo tempo, comentava tudo e me dizia “Não chora, menina!’, enquanto ela se convertia em lágrimas e euforia!rs);  vi crianças se encantando com tudo aquilo e adolescentes com as músicas na ponta da língua. Negros, brancos, muitos orientais, americanos, latinos, europeus, como dizem os americanos, “Doens’t Matter”, pois o que importava ali era a emoção que unia a todos em gritos de elogios e amor ao artista ali homenageado, nas palmas, no canto em coro, nas lágrimas que escorriam na maioria dos rostos.

Este video do youTube, é da apresentação de Las Vegas, em dezembro/2011, no Madalay Bay Hotel and Casino, mas tem um resumo do que é o espetáculo, mostrando as luzes vermelhas, a magia de Billie Jean, a emoção de Black or White e mais alguns trechos:

O show acabou, todos se despediram, e uma holografia de Michael Jackson se fez no palco, iluminada, num tecido quase transparente e foi difícil aceitar que a magia era finita. Aquilo te faz pensar em tantas coisas, não dá vontade de sair de lá, mas era preciso voltar para o hotel, comer e descansar, pois no dia seguinte, mais uma pequena viagem estava no roteiro.

Sai do ginásio, encontrei as meninas e o Aguinaldo, e vi que até ele, que não é fã enlouquecido de MJ, estava surpreso com a história e com a qualidade do que foi apresentado ali. Eu e as meninas compramos algumas coisas: a Leninha comprou o fedora do Cirque,  eu comprei o programa, a Cris, a sacola, o programa e acho que o pôster, e assim foi. Saímos do Staples Center e fomos para o estacionamento. Nos despedimos do Aguinaldo e voltamos para o Hotel.

Confesso que eu mal conseguia falar. Era uma mistura de atenção ao volante e a estrada, com emoção deixada pelo show em mim, somada ao cansaço físico do dia em um parque de diversão e ao cansaço emocional, provocado pelo espetáculo. Chegamos no hotel, comemos algo, nos arrumamos e fomos dormir, por volta de meia noite.

No dia seguinte, era preciso estar em Santa Monica, às 8hs e de lá o destino foi Neverland, para mais um dia de emoções e lembranças! Mas isso eu conto no próximo post, até lá!

Sobre FêRabaglio

Designer gráfico, autora do Blog Vou Pra California e Guia Para Orlando, apaixonada por Las Vegas, California e Orlando, minha história com este universo começou logo após o término na universidade, quando decidi passar um tempo na California fazendo Intercâmbio! Queria conhecer a terra do cinema e das palmeiras, estudar inglês, mas de uma forma mais econômica do que os tradicionais intercâmbios. Foi aí que minha jornada começou, que me apaixonei por este tema e logo dei início ao Blog que hoje ajuda tantas pessoas a encontrarem suas trilhas com destino na California!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>